O Vai-Vai

O VAI-VAI

O Grêmio Recreativo Cultural e Social Escola de Samba Vai-Vai é uma das principais agremiações do Carnaval Brasileiro e a maior campeã do Carnaval de São Paulo com 9 títulos como Cordão, 15 títulos do Grupo Especial e 10 vice-campeonatos.

Confira os 15 Carnavais Campeões no Grupo Especial: 

Nossa História

O[1] Vai-Vai, a mais popular escola de samba de São Paulo, é oriunda de um grupo de sambistas que animavam a beira de campo nos jogos de um time de futebol dos anos 1920, o “Cai-Cai”. Sempre vistos como penetras e arruaceiros, sendo apelidados de modo jocoso como “a turma do Vae-Vae”, expulsos do Cai-Cai, eles criaram o “Bloco dos Esfarrapados”, e paralelamente, o ‘Cordão Carnavalesco e Esportivo Vae-Vae’, que foi oficializado em 1930.

O nome “Saracura”, sempre associado à escola, se deriva do riacho que corta o Bixiga e tinha essa ave de pernas finas abundante em suas margens. As cores do Vai-Vai são as mesmas cores do time Cai-Cai, invertidas, ou seja, se o Cai-Cai era Branco e Preto, o Vai-Vai fixou as cores em Preto e Branco. Os símbolos são uma coroa e ramos de café. A Coroa simboliza a realeza e a magnitude da raça negra, naquela época era comum os negros se tratarem carinhosamente de “Oi Meu Rei, Oi Minha Rainha”, e os ramos de café simbolizam a maior fonte de riqueza econômica de São Paulo à época.

Uma vez que os desfiles das escolas de São Paulo foram oficializados em 1968, os cordões ainda tentaram resistir durante 3 anos, porém foram forçados a se adaptar à época, e em 1972, o cordão Vai-Vai se transformou em escola de samba. Na bateria foram introduzidos instrumentos leves como tamborim, pandeiro e cuíca, além do andamento e batida de samba, que se tornaram mais leves e com mais balanço. O estandarte cedeu lugar ao pavilhão e então nasceram a comissão de frente, a ala das baianas e as alegorias de mão.

As fantasias perderam seu peso tradicional e a evolução ficou mais dinâmica. Surgiu então a figura do Criolé, a imagem e semelhança de outros tantos crioulos do Bixiga. Ele é um símbolo, uma identidade, caricatura do próprio sambista da saracura, aquele que personifica a escola ao vestir-se de suas cores – o preto e o branco; ele é a fantasia, a alma do Vai-Vai. Figura que passou a acompanhar a escola tanto nas glórias como nas dificuldades. O Vai-Vai é a maior e mais tradicional escola de samba de São Paulo, acumulando 9 títulos como Cordão, 15 títulos do Grupo Especial e 10 vice-campeonatos, motivo de orgulho para uma agremiação, cuja história se confunde com a história da cidade e do carnaval paulista.

[1] A escola sempre deve ser tratada no Masculino O Vai-Vai, em referência ao Grêmio Recreativo, evolução do Cordão.